Faixa publicitária
Faixa publicitária
Henry Dunant

  

A vida de Jean Henry Dunant, fundador do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, pautou-se por um constante contraste.

  

Nascido no seio de uma família abastada a 8 de Maio de 1828, em Genebra (Suíça), Henry Dunant acaba por morrer num hospício, desprovido de quaisquer posses materiais.

   

A sua vida oscilou entre a fama e obscurantismo, sucesso e bancarrota. O único elemento sempre presente foi o humanitarismo, sendo a Cruz Vermelha a materialização deste ideal.

 

Em 1901, como reconhecimento do seu valor, é agraciado com o primeiro Prémio Nobel da Paz.  Para além deste prémio, a nossa Organização conta com mais outros três prémios Nobel da Paz: em 1917 e 1944, o Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) recebe esta distinção pelo trabalho humanitário que desenvolveu nas duas Guerras Mundiais, e em 1963, por ocasião do 100º aniversário do Movimento e como reconhecimento dos serviços prestado à humanidade, conjuntamente o CICV e a Federação Internacional recebem o quarto prémio Nobel da Paz.

   

À data da morte de Henry Dunant a 30 de Outubro de 1910, então com oitenta e dois anos de idade, o prémio monetário referente ao Nobel da Paz mantinha-se intacto e destinado por testamento ao pagamento das suas dívidas e a obras filantrópicas.