Faixa publicitária
Faixa publicitária
150 anos Convenção Genebra - Até a guerra tem limites
No 150º aniversário da Convenção de Genebra original de 1864, mais do que nunca apelamos a todas as partes dos conflitos a poupar os civis e respeitar o direito internacional humanitário.

Em Agosto de 1864, delegados de 16 Estados, reuniram-se numa conferência diplomática em Genebra. A 22 Agosto 1864 doze países que assinaram um tratado que consagrava a obrigação de poupar e proteger soldados feridos e as pessoas e equipamento implicados no seu tratamento: assim nasceu a Convenção de Genebra, e com ela o moderno direito internacional humanitário.
As regras estabelecidas pelo direito internacional humanitário protegem aqueles que não fazem parte, ou já não participam, das hostilidades – nomeadamente civis e feridos, doentes ou combatentes capturados – e restringem os meios e métodos de combate. Todos os que são parte nos combates têm o dever de distinguir entre combatentes e civis e não podem atingir civis. Mas assinar tratados não é suficiente. As demasiado frequentes violações do direito humanitário nos conflitos têm um custo humano inaceitável.
Conheça o manuscrito da Convenção de Genebra original de 1864, com as assinaturas e selos dos representantes dos 12 países que assinaram a Convenção de Genebra original.